Lizzie Velasquez fala de empatia e faz pedido a TikTokers

A palestrante tem sido vítima de assédio virtual por conta de sua deficiência

Compartilhe:

Lizzie Velasquez tem uma síndrome rara e ficou famosa após um discurso emocionante feito em um TEDx, em 2014, viralizar. O tema da fala foi “Como você se define?”.

Ela nasceu com uma doença genética rara chamada Síndrome Progeroide Neonatal. Isso significa que ela não ganha peso e massa corpórea em uma taxa proporcional ao seu crescimento em altura. Outros sintomas são pele fina e enrugada, dificuldades motoras e cognitivas, problemas de dicção, visão, ossos, cérebro e coração.

Durante sua palestra, há 6 anos, Lizzie explicou um pouco mais sobre a síndrome que a fez ser vítima de preconceitos e bullying durante toda a sua vida.

Nesta semana, Velasquez voltou a viralizar nas redes sociais, mas não por um motivo feliz e inspirador. Ela tem sido vítima constante de um assédio virtual grave no TikTok, a rede social do momento entre os jovens, com um desafio chamado de Facetime Prank (pegadinha do Facetime, em tradução livre).

Na situação, uma mãe mostra ao filho uma foto da palestrante, e anuncia: “ela será sua nova professora na escola”. O menino tem uma reação de assustado, e a mãe ri. Para fazer o Facetime Prank, os usuários utilizam fotos de pessoas com deficiências, fixam na tela, e mostram para outras pessoas, crianças ou adultas, fingindo ser uma ligação de vídeo. As reações são gravadas.

Chateada com o cenário, Lizzie resolveu se manifestar por meio de um vídeo, criticando a brincadeira e pedindo ajuda aos tiktokers. Ela explica que não é engraçado, e não se trata de uma piada.

“Se você é um adulto que tem uma criança em sua vida, por favor, não ensine a ela que ficar assustado com a aparência de outra pessoa é algo ok. Tudo o que essas crianças precisam saber sobre ter empatia e ser educado com o outro, começa em casa. Por favor, isso não está certo. Isso precisa parar. Somos humanos, temos sentimentos”, diz.

Apesar de todo esse cenário, Lizzie não permitiu que a sua síndrome a definisse. Ela se formou na faculdade, escreveu livros e hoje dá palestras ao redor do mundo, tornando-se uma verdadeira inspiração para pessoas de todas as idades e realidades.

Fonte: Catraca Livre e HG Buzz.