Parceria do Google com a Fundação Dorina Nowill para Cegos beneficia 1,5 mil pessoas com deficiência visual

Empresa de tecnologia destina 1500 smartphones com funcionalidades de acessibilidade para mostrar como os aparelhos podem ser grandes aliados na inclusão

Foto de mãos femininas segurando um celular.
Compartilhe:

Google se une à Fundação Dorina Nowill para Cegos para promover conectividade e acessibilidade por meio de smartphones para atendimentos especializados à distância, aprendizado e comunicação durante a COVID-19.

A parceria vai auxiliar diretamente 1,5 mil pessoas com deficiência visual em reabilitação ou participantes dos cursos livres de qualificação profissional, dentro dos serviços gratuitos oferecidos pela instituição.

O público beneficiado vem passando por limitações para acessar a tecnologia por meio de smartphones.

Com a evolução da pandemia, a Fundação Dorina identificou a dificuldade das pessoas em se manterem conectadas para comunicação, obterem suporte e receberem atendimento em Pedagogia, Terapia Ocupacional, Orientação e Mobilidade, Fisioterapia, Serviço Social e Ortóptica. Por meio da doação, elas passam a contar com a ajuda das soluções oferecidas pelo sistema Android, junto das outras ferramentas do Google, como o Assistente e o TalkBack. Segundo a OMS, existem 2,2 bilhões de pessoas no mundo com alguma deficiência visual. No Brasil, são – pelo menos – 6,5 milhões de cegos e pessoas com baixa visão.

Os 1,5 mil kits contêm celulares da Motorola, com acesso à internet, e foram oferecidos gratuitamente para os próximos dois anos aos inscritos nos cursos oferecidos no formato EAD (informática, massoterapia e empreendedorismo) e atendimentos interventivos da Fundação Dorina, contemplando também os colaboradores envolvidos na produção dos cursos e técnicos especializados. Depois desse período, os aparelhos serão doados aos usuários.

Além dos smartphones, também será disponibilizado um e-book explicativo, para auxiliar na configuração e personalização dos smartphones.

“Apesar do Brasil possuir uma das melhores e mais modernas leis para a inclusão, há muitas barreiras que ainda precisam ser quebradas. Mas iniciativas como essa ressaltam o legado de D. Dorina: manter-se firme na causa e com os parceiros certos”, diz Alexandre Munck, superintendente executivo da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Tecnologia inclusiva

Dentro de sua missão, o Google destaca as principais ferramentas e soluções que os dispositivos móveis podem trazer para permitir que seu objetivo seja cumprido, focando naqueles que possuem algum tipo de limitação física.

O sistema operacional Android está preparado para ajudar pessoas com diversos tipos de necessidades, tendo a acessibilidade sempre em mente.

Busca trabalhar junto com as pessoas com deficiência para compreender quais os tipos de obstáculos, não só estruturais, que elas podem se deparar, levando em conta suas rotinas e preparando a melhor experiência tecnológica possível para elas.

“O sistema operacional Android está pronto para auxiliar pessoas com diversos tipos de limitações , tendo a acessibilidade como foco. Buscamos trabalhar para compreender quais os tipos de obstáculos que essas pessoas podem se deparar, levando em conta suas rotinas e preparando a melhor experiência tecnológica possível para elas”, diz Maia Mau, Head de Marketing do Android para América Latina.

Com a funcionalidade Transcrição Instantânea, por exemplo, é possível visualizar legendas em tempo real enquanto você conversa, ou ainda transcrever vídeos, podcasts, mensagens de áudio ou até gravações próprias, sem precisar de conexão de internet.

Já o Amplificador de Som, permite a filtragem de ruídos de fundo e o ajuste à forma que você escuta, basta conectar os fones de ouvido.

O TalkBack, solução que já vem integrada ao Android, transforma em texto tudo aquilo que é visual e permite que a abertura de aplicativos, edição de textos e navegação entre telas seja feita com o uso da fala.

O Lookout é outra ferramenta pensada para aqueles que possuem baixa visão. Com ele, por meio da câmera do celular e com ajuda da inteligência artificial, é possível identificar o que está à sua volta. Basta enquadrar um objeto para descobrir o que ele é. Por exemplo, quais alimentos estão no seu prato.

A mobilidade também não foi esquecida. O Android está pronto para ser utilizado em conexão a ferramentas externas, como teclados ou computadores, pensando naqueles que não conseguem usar os celulares.

Todas as soluções oferecidas e materiais preparados sobre o tema estão reunidos na página especial de acessibilidade do Android, disponível em android.com/acessibilidade.