Falta de acessibilidade para pessoas com deficiência durante a pandemia é tema de pesquisa canadense

Levantamento que inclui o Brasil identifica características e recursos disponíveis para o auxílio de pessoas com deficiência antes e durante a crise do novo coronavírus

Foto em close de uma cadeira de rodas
Compartilhe:

Um estudo da McMaster University, do Canadá, em parceria com diversos países, aborda as necessidades das pessoas com deficiência durante a pandemia. O objetivo do levantamento é apurar as características individuais de cada país e fazer um comparativo entre eles, detectando assim quais são as barreiras que essa população está enfrentando e quais recursos estão disponíveis para auxiliá-los.

“Essa questão das dificuldades que as pessoas com deficiência encontram é uma questão estrutural. Com a pandemia, muitas dessas questões se evidenciaram”, diz Beatriz Helena Brugnaro, doutoranda do programa de pós-graduação em Fisioterapia da UFSCAR e colaboradora da pesquisa no Brasil.

A conclusão do estudo pode levar ao desenvolvimento de políticas públicas que visam a melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência. “Pensando que é uma questão estrutural, passando a pandemia, essas questões vão continuar. E elas precisam ser trazidas em pauta”, comenta Beatriz.

Sobre o momento em que o Brasil vive quanto a acessibilidade, Beatriz opina: “Nós estamos caminhando. Essas questões demandam certo tempo, mas é necessário ter mais pautas, ser mais discutido, para que essas mudanças aconteçam mais rapidamente. Todo mundo precisa ter em mente que quando nós temos uma sociedade acessível, ela é boa para todo mundo. A acessibilidade é para todos, não é algo exclusivo”, completa.

Assista à íntegra da entrevista:

Fonte: TV Cultura

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *