IV Seminário sobre Práticas Pedagógicas Inclusivas será aberto ao público

Evento gratuito sobre educação inclusiva acontece de 8 a 10 de dezembro

Foto de um grupo diverso de pessoas no auditório do Memorial da Inclusão.
Compartilhe:

A quarta edição do Seminário “Compartilhando Práticas Pedagógicas Inclusivas” será gratuita, online e aberta ao público. O evento será virtual, com atividades entre os dias 8 e 10 de dezembro, das 14h às 17h30.

O seminário traz discussões sobre o direito à educação inclusiva e a importância do brincar para todos e é realizado no âmbito do Projeto Brincar, uma iniciativa da Fundação Grupo Volkswagen em parceria com a ONG Mais Diferenças e a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. Como antes era presencial, o evento era aberto apenas a profissionais da rede municipal de educação de São Paulo.

Neste ano, para acompanhar as mesas os interessados devem se inscrever em congresse.me/eventos/seminarioprojetobrincar2020.

Confira a programação:

  • 8/11: Livro e leitura para todos
  • 9/11: Laboratório de linguagens artísticas e práticas pedagógicas inclusivas
  • 10/11: O direito ao brincar

Em 2019, cerca de 230 educadores se reuniram no Memorial da Inclusão para uma programação que contou com palestras, debates e compartilhamento  de experiências, estudos e práticas acessíveis e inclusivas no âmbito do Projeto. Houve ainda uma programação cultural, que contou com mediação de leitura acessível e inclusiva e performance do Slam do Corpo.

Com informações de assessoria de imprensa.

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *