SP realiza Curso de Libras para mais de 4 mil profissionais da rede de ensino estadual e municipal

O curso teve o objetivo de capacitar professores para incluir alunos com deficiência auditiva na sala de aula

Foto de uma mulher sentada em frente a um tablet. Ela está com fones de ouvido e com as mãos levantadas.
Compartilhe:

O Governo de São Paulo, por meio da parceria entre as Secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Educação, realizou o Curso EaD (ensino a distância) de Língua Brasileira de Sinais para mais de 4 mil profissionais da rede de ensino estadual e municipal.

O curso, que aconteceu por meio da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação (EFAPE), visou ampliar as possibilidades de comunicação e interação entre professores e alunos com deficiência auditiva, além de capacitar esses profissionais diminuindo as barreiras comunicacionais.

O professor Roberto Canossa, 54 anos, leciona matemática para alunos do ensino médio e concluiu a certificação do curso. Para ele, as aulas foram muito importantes para seu crescimento profissional e inclusão, “foi além das expectativas, o professor conseguiu nos fazer pensar em Libras. Além disso, adentramos a cultura dos surdos e isso foi enriquecedor e muito importante para a compreensão da língua”, declarou.

Canossa também destaca a importância de se comunicar com alunos com deficiência auditiva e como isso se torna um ponto essencial para transmitir conhecimentos. “Ter professores com o mínimo grau de Libras já faz com que o aluno surdo se sinta pertencente à unidade escolar. A meta dos professores é atingir todos os alunos com os conteúdos, então o curso passa a ser um suporte para isso”, disse.

Ele também relatou que a partir do curso tem buscado mais informações sobre a inclusão escolar de alunos com deficiência auditiva, “comecei a fazer estudos sobre como ensinar matemática para alunos surdos, estou me envolvendo muito com o tema. O curso me fez procurar métodos diferenciados e mais informações”, concluiu.

De acordo com a Base de Dados da Pessoa com Deficiência, no Estado de São Paulo existem mais de 3 milhões de pessoas com deficiência. Desses, 14,49% são pessoas com deficiência auditiva.

Com informações de assessoria de imprensa.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *