Pesquisa da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de SP sobre empregabilidade encerra dia 31 de janeiro

Levantamento quer conhecer o perfil e demandas das pessoas com deficiência do estado de SP em relação as suas expectativas de qualificação profissional, acesso e barreiras ao emprego

Foto de três carteiras de trabalho lado a lado em fundo branco
Compartilhe:

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo recebe até o dia 31 de janeiro respostas referente à pesquisa “Pessoa com Deficiência e Emprego”.  Para participar é só clicar no link https://bit.ly/PesquisaEmprego. O formulário também está disponível em Libras. Para acessá-lo, clique em https://bit.ly/PesquisaEmpregoLibras.

Devido ao aumento da taxa de desemprego ocasionada pela atual crise econômica disparada pela pandemia do novo coronavírus e pela histórica de exclusão do acesso da pessoa com deficiência ao mercado de trabalho, a Secretaria quer conhecer os principais desafios encontrados, o interesse em qualificação profissional e as principais barreiras no acesso e permanência da pessoa com deficiência no mercado de trabalho.

Segundo a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência, há mais de 3 milhões de pessoas com deficiência no estado de São Paulo, sendo apenas 1,17% desta população ativa no mercado de trabalho. Ainda, de acordo com dados do CAGED do 3o Trimestre, houve um saldo negativo no número de pessoas com deficiência admitidas e demitidas, de 8.244.

“Cada um com o seu talento, pode e deve desenvolver suas aptidões. Neste quesito a empregabilidade é o melhor caminho, com isso a pesquisa “Pessoa com Deficiência e Emprego” feita pelo Governo de SP, por meio da nossa Secretaria, busca exatamente conhecer o perfil deste seguimento e entender as dificuldades e barreiras que as impedem de estarem no mercado de trabalho”, ressaltou a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

Com informações de assessoria de imprensa.

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *