Fundação Dorina Nowill para Cegos lança exposição “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas”

Exposição estará em cartaz nas linhas vermelha, azul e verde do metrô de São Paulo e na Unibes Cultural, mostrando a história da Fundação, referência em acessibilidade e inclusão

Cartaz amarelo com o logo comemorativo da Fundação Dorina Nowill e o texto "75 anos de inclusão"
Compartilhe:

Em 2021, a Fundação Dorina Nowill para Cegos comemora 75 anos. E, para dar continuidade às celebrações, a instituição lança, em parceria com o Metrô de São Paulo e a Unibes Cultural, a exposição “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas”.

No metrô de São Paulo, a exposição já teve início e acontece de forma itinerante apresentando textos e imagens explicativas que viajarão pelas estações da República, Luz e Alto do Ipiranga. Já na Unibes Cultural, a mostra se inicia em 25 de maio e vai até 16 de julho, com imagens históricas sobre o universo das pessoas com deficiência visual.

A iniciativa tem o objetivo de aproximar o público da história da instituição, pioneira na inclusão social de pessoas com deficiência visual e, ainda, valorizar a arte pela cidade de São Paulo. Ao percorrer as imagens da exposição, o público entrará em contato com uma história de realizações e desafios.

“Por meio da exposição, queremos sensibilizar a sociedade sobre a causa da inclusão das pessoas cegas ou com baixa visão e contribuir culturalmente com a sociedade. Essa exposição tem como intuito imergir no tempo. A ideia é mostrar as raízes da instituição, desde sua fundação até os dias atuais. Além disso, é uma forma de dar visibilidade ao legado vivo de Dorina de Gouvêa Nowill, que dedicou sua vida para garantir a autonomia e inclusão das pessoas com deficiência visual”, conta Alexandre Munck, superintendente executivo da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Destaques da exposição “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas”

Origem da História

Ainda como Fundação para o Livro do Cego no Brasil, a entidade surge em 1946 com a proposta de incentivar a leitura e produção de conteúdo acessível voltado à pessoa cega ou com baixa visão.

A Dama da Inclusão

Nascida em 28 de maio de 1919, Dorina de Gouvêa Nowill perdeu a visão ainda com 17 anos e, posteriormente batalhou durante toda sua trajetória pela autonomia e inclusão de pessoas com deficiência visual até sua morte em agosto de 2010.

Educação Acessível

A educação e alfabetização são importantes focos de atuação da Fundação Dorina Nowill para Cegos, por meio de produção de livros em Braille, audiolivros e materiais digitais de ensino.

Empregabilidade

A Fundação Dorina tem uma área de empregabilidade, que atua com o objetivo de ampliar as oportunidades para pessoas com deficiência visual no mercado de trabalho, além de incentivar a autonomia no dia a dia.

Atendimentos Especializados

A Fundação Dorina oferece serviços de atendimento como oftalmologia, clínica de visão subnormal, fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, aulas de informática, orientação e mobilidade.

Centro de Memória

Inaugurado em 2002, o Centro de Memória Dorina Nowill tem como missão apresentar a história da luta das pessoas com deficiência visual, através de conteúdos e objetos históricos.

Cronograma de circulação da exposição itinerante nas estações do Metrô:

República – 19/05 a 20/06

Alto do Ipiranga – 22/06 a 31/07

Luz – 03/08 a 29/08

O material da exposição pode ser conferido no site da Linha da Cultura do Metrô, no endereço https://biblioteca.metrosp.com.br/

Unibes Cultural

Endereço: Rua Oscar Freire, nº 2.500, metrô Sumaré, Linha Verde.

Data: de 25/05 até 16/07

Horário: de terça a sexta, das 14h às 19h.

Visitas somente com agendamento através do site: https://www.unibescultural.org.br

2 respostas para “A Reforma da Previdência não pode ferir a dignidade dos mais vulneráveis”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *