Conheça 5 atividades que ajudam crianças autistas

Guia feito pelo Instituto Mauricio de Sousa e Revista Autismo dá diversas dicas

Arte com fundo azul e ilustração do personagem André, que é autista, com diversos brinquedos ao seu redor, como carrinhos, caminhões e barcos. Há o texto Instituto Mauricio de Sousa - Brasil/2021
Compartilhe:

Hoje, 18 de junho, é Dia do Orgulho Autista. Na data, o Instituto Mauricio de Sousa e a Revista Autismo divulgaram um guia com atividades que podem ajudar na autoestima e autonomia dessas crianças. Confira mais na nota:

Muitas famílias tiveram que usar a criatividade durante a pandemia para pensar em atividades para as crianças, principalmente as que estão ainda sem ir presencialmente à escola. O desafio é ainda maior para os autistas que estão sem aulas presenciais e sem terapia em muitas ocasiões.

O Instituto Mauricio de Sousa e a Revista Autismo produziram um guia com cinco dicas de atividades que podem ser muito úteis a todas as crianças, mas, em especial, às autistas, ainda mais no Dia do Orgulho Autista, celebrado em 18 de junho.

1 – Brinquedos espalhados pelo chão, por exemplo, podem virar uma atividade para os pequenos. Nessa bagunça, cada brinquedo “resgatado” e guardado numa gaveta ou baú, vale ponto. Os itens menores, que exigem mais coordenação motora fina, valem mais pontos. Assim, pode-se arrumar a bagunça de maneira divertida e estimulando a habilidade da criança. E no fim, comemorar mais uma conquista para se orgulhar!

2 – Quem está na foto? Que tal pedir para a criança nomear as pessoas que ela conheça nas fotos? Isso auxilia a memória e a abstração. Podemos pedir para ela contar uma história sobre aquela foto e trabalhar a criatividade. Coloque também foto da própria criança. São inegáveis os benefícios de reconhecer-se e valorizar-se como pessoa!

3 – Faça um buraco numa caixa (pode ser de sapato) num tamanho para passar somente a mão. Coloque dentro alguns objetos e peça para a criança adivinhar o que é somente pelo tato. Não vale espiar, hein? Isso estimula não só o tato, como a comunicação e a habilidade de descrever objetos. Dar pulos para comemorar e aplaudir o sucesso da criança não só incentiva como também melhora muito sua autoestima.

4 – Fique em frente à criança e faça vários movimentos. Ela tem que imitar ao mesmo tempo em que você faz os gestos! Não vale ir muito depressa ou pular etapas. Esta atividade trabalha os domínios atencionais e de controle inibitório. E, se ver no espelho, ajuda a valorizar sua imagem e a si mesmo, claro!

5 – Por fim, uma atividade que pode ser feita o dia todo, nos pequenos detalhes do dia a dia. É importante que a criança continue com a autonomia conquistada. Nada de fazer pelos pequenos as coisas que eles fazem sozinhos na escola. É legal elogiar sempre o que a criança fizer e conseguir. É muito bom demonstrar o quanto ela é valorizada e o quanto você a ama.

Guia

Estas e outras atividades e recomendações estão no guia gratuito “Dicas de atividades para as crianças, em especial as autistas, fazerem em casa” no site do Instituto Mauricio de Sousa. A estrela da capa e das páginas internas do material é o André, o personagem autista da Turma da Mônica.

“O nosso personagem André nos deixa muito felizes por estar, cada vez mais, ganhando reconhecimento e contribuindo para levar essa representatividade à comunidade autista. E também informações corretas que ajudam as famílias a apoiar o pleno desenvolvimento das crianças que fazem parte do Transtorno do Espectro do Autismo. Esse guia é um exemplo das ações com o personagem com esse objetivo”, comenta Mauricio de Sousa.

Com informações da assessoria de imprensa.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *