Prêmio reconhecerá projetos de impacto social que promovam a inclusão de pessoas com deficiência

Inscrições vão até o dia 21 de julho às 18h

Foto de duas mulheres e um homem, em pé, lado a lado, segurando nas mãos o troféu do Prêmio da Fundação Grupo Volkswagen
Compartilhe:

Projetos de impacto social que promovam a inclusão de pessoas com deficiência, mobilidade urbana e mobilidade social podem se inscrever até 21 de julho, às 18h, no Prêmio Fundação Grupo Volkswagen. As inscrições devem ser feitas no site https://bit.ly/36Lu8rM.

Nesta segunda edição,​ em parceria com a Yunus Corporate, unidade de inovação social corporativa da Yunus Negócios Sociais, seis organizações sociais serão selecionadas para um programa de aceleração. A etapa inclui capacitação, mentoria com especialistas, consultoria e incentivo à criação de redes, por meio de atividades e encontros online.

Os três projetos que demonstrarem maior potencial de transformação social serão premiados com R$ 100 mil, a título de patrocínio.

Ao longo de 2022, as três organizações vencedoras deverão implementar as ações planejadas com o investimento, sendo acompanhadas e apoiadas pela Fundação Grupo Volkswagen e pela Yunus Negócios Sociais.

“Queremos aproximar o terceiro setor de metodologias inovadoras e do universo dos chamados negócios sociais, sem descuidar das particularidades das organizações sem fins lucrativos”, diz Vitor Hugo Neia, diretor de administração e relações institucionais da Fundação.

As linhas de atuação dos projetos elegíveis incluem, entre outros temas, geração de renda em territórios vulneráveis e periféricos, empreendedorismo feminino, educação inclusiva para pessoas com deficiência e tecnologias e inovação para a mobilidade urbana.

“Nossa aceleração pretende ajudar essas organizações a encontrarem modelos de sustentabilidade financeira, que vão para além dos formatos tradicionais de captação de recursos, e que permitam que a organização e o seu impacto se mantenha no tempo de forma sustentável”, afirma Rui Lira, head de inovação aberta da Yunus.

Realizado desde 2019, o Prêmio Fundação Grupo Volkswagen recebeu mais de 400 inscrições na primeira edição. O Instituto Aromeiazero, a ONG Acreditar e o Instituto MeViro foram os finalistas.

Fonte: Folha de S.Paulo

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *