Acervo digital da Fundação Dorina Nowill para Cegos está disponível em plataforma internacional

Instituição disponibiliza 1.300 materiais variados, na parceria com a Accessible Books Consortium (ABC)

Arte com fundo laranja e a ilustração de livros e um celular em pé com um fone de ouvidos ao seu redor. Na frente do aparelho, há um homem, da altura do celular, mexendo na tela do dispositivo.
Compartilhe:

A Fundação Dorina Nowill para Cegos fez uma parceria inédita com a Accessible Books Consortium (ABC), da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI). O objetivo é ampliar o acesso de todo o seu acervo digital na recém-lançada plataforma do ABC, para a distribuição de livros acessíveis.

O aplicativo ABC Global Book Service é gratuito e conecta o catálogo internacional de formatos acessíveis de bibliotecas de diversos locais do mundo. As coleções disponíveis, até então, eram da França, Nova Zelândia, Canadá e Suíça, contando com mais de 67.000 títulos. E, agora, o app passa a ter o conteúdo do acervo digital da Fundação Dorina.

A instituição contribuiu com cerca de 1.300 materiais variados, como livros em Braille, audiolivros, Daysi e e-Pub (formato específico para livros digitais). Além disso, ela ainda fará a aprovação de usuários brasileiros – pessoas cegas e com baixa visão – interessados em acessar o acervo disponível na plataforma, por meio de cadastro no site do ABC Book Service (em inglês).

“A Fundação Dorina nasceu, há 75 anos, com o objetivo de ampliar o acesso, promover a autonomia e inclusão de pessoas cegas e com baixa visão, e segue atuando o legado de Dorina Gouvêa Nowill. Possibilitar que o Brasil faça parte desta plataforma multicultural de acesso à cultura e informação é mais uma conquista e contribuição para que as produções de materiais inclusivos estejam acessíveis mundialmente, diminuindo barreiras”, conta Alexandre Munck, superintendente executivo da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Com informações da assessoria de imprensa.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *