Fotógrafo com baixa visão fará cobertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio

João Maia fará o registro da competição, que acontece de 24 de agosto a 5 de setembro

Foto de João Maia de perfil segurando uma máquina fotográfica nas mãos durante a cobertura dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro em 2016
Compartilhe:

Com uma história de superação e resiliência, João Maia é um homem surpreendente. O fotógrafo com baixa visão é embaixador institucional da Fundação Dorina Nowill para Cegos, para os Jogos Paralímpicos de Tóquio. Ele desembarca no Japão, no dia 19 de agosto, para mostrar a cultura, acessibilidade, e os bastidores da competição.

O piauiense João Maia, de Bom Jesus, vai tirar fotos, gravar vídeos e fazer stories para as redes sociais da Fundação Dorina. As competições Paralímpicas e os bastidores dos jogos serão os principais conteúdos publicados por ele. Mas, as suas lentes também mostrarão outros temas, como a cultura japonesa – uma curiosidade para os ocidentais. Outro assunto a ser registrado é a acessibilidade para pessoas cegas ou com baixa visão no Japão.

Além de mostrar a viagem e produzir conteúdo, essa iniciativa tem o objetivo de dar visibilidade e pautar a sociedade sobre temas relacionados às pessoas cegas ou com baixa visão. O próprio João Maia é um exemplo de pessoas que lidam com os desafios da acessibilidade, e carrega consigo uma trajetória de superação e resiliência. Após perder a visão, já adulto, realizou o sonho de se tornar fotógrafo.

“Desde a perda da minha visão, enfrentei uma longa jornada até aqui. E, a Fundação Dorina surgiu para me mostrar que existiam muitas possibilidades para a minha história. Por lá, conheci e utilizei os serviços de habilitação e reabilitação, e com o tempo adquiri mais autonomia. Hoje, sou um fotógrafo, mesmo com a ausência de um sentido que eu acreditava ser essencial para exercer essa profissão”, conta João Maia.

Conheça parte da trajetória de João Maia

João Maia perdeu a visão aos 28 anos, devido a uma uveíte bilateral. Na Fundação Dorina, ele encontrou apoio para conviver com a nova realidade por meio de tratamento gratuito adequado.

A perseverança no sonho de ser fotógrafo foi além do imaginado. Em 2016, o profissional conseguiu atingir um grande marco para a sua carreira, com a cobertura dos Jogos Paralímpicos, no Rio de Janeiro. As imagens feitas por ele mostram diversas competições de corrida de atletismo sobre rodas, ciclismo, judô, futebol, natação, entre outros.

“Naquele momento, eu não me considerei um herói por ser um fotografo com baixa visão, mas pude ter certeza da minha competência como um profissional qualificado e capaz. Não tenho dúvidas que cobrir os Jogos Paralímpicos, no Rio de Janeiro, foi um grande momento na minha vida. E, como diz o poeta Augusto Branco, a realização de todo feito extraordinário, consiste em ter um sonho e acreditar nele”, conta.

Com informações de assessoria de imprensa.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *