Projeto investe para tornar Parque do Ibirapuera mais acessível e inclusivo para pessoas com deficiência

Além da redução das guias de calçadas e instalação de totens digitais com audiodescrição, a ação ainda conta com a criação de vestiários de acordo com as normas de acessibilidade

Foto paisagem do Parque do Ibirapuera. O céu está azul e com nuvens brancas, e há muitas árvores, grama e um lago no centro da imagem. Ao fundo, o Obelisco e Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32.
Compartilhe:

Para tornar o Parque Ibirapuera um local mais acessível para todas as pessoas, a Urbia, responsável pela gestão do Parque, desenvolveu um projeto prevendo medidas inclusivas e intervenções em diversas estruturas, vias e equipamentos. O objetivo? Promover a acessibilidade e melhoria da mobilidade no local. Além de materiais de sinalização e comunicação inclusiva, caminhos complementares acessíveis, construção de rampas de acesso e redução das guias de calçadas estão no planejamento.

“A grama e os pedriscos podem dificultar a locomoção de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida dentro do Parque. O desenvolvimento de caminhos complementares e acessíveis é indispensável, pois queremos assegurar a total mobilidade de frequentadores e garantir segurança e bem-estar”, afirma Samuel Lloyd, diretor da Urbia Parques.

A proposta da Urbia é construir ramificações feitas com pavimentos drenantes, tornando os caminhos já existentes mais transitáveis. Além de ser uma solução sustentável, permitindo a drenagem da água da chuva. Desse modo, as pessoas poderão circular pelos principais pontos e áreas com mais facilidade. A ação também prevê a criação de mais rampas de acesso e a redução das guias de calçadas para que os espaços sejam mais planos e facilitem a circulação de pessoas idosas, com deficiência motora e mobilidade reduzida.

As obras também contemplam a instalação de totens digitais com audiodescrição para que pessoas cegas ou com baixa visão possam se informar sobre os conteúdos expostos além dos serviços oferecidos.

Os banheiros do Parque do Ibirapuera também serão adequados de acordo com as normas de acessibilidade. Dentro das reformas, a construção de vestiários com superfície para troca de roupas na posição horizontal está prevista.

Todas essas melhorias foram pensadas pela Urbia para que o Ibirapuera se torne mais inclusivo e acessível a todos e todas. O projeto já foi previamente analisado pela Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA), comissão especializada em acessibilidade no município, e está em fase de análise pelos órgãos de tombamento.

2 respostas para “A Reforma da Previdência não pode ferir a dignidade dos mais vulneráveis”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *