Chico Rei lança linha de camisetas em parceria com o Instituto Jô Clemente

Parte da renda conseguida com a coleção exclusiva do IJC será revertida para os serviços de saúde, inclusão social e defesa de direitos da Instituição

Montagem de arte em fundo amarelo com o logo do Instituto Jô Clemente e da Chico Rei e uma camiseta dobrada com a estampa de várias pessoas segurando uma placa com a palavra deficiência riscada e logo abaixo está escrito diferencial
Compartilhe:

O Instituto Jô Clemente (IJC), antiga Apae de São Paulo, e a marca Chico Rei fecharam uma parceria para o lançamento de uma linha de camisetas personalizadas, com o nome “Coleção Instituto Jô Clemente”. Pelo acordo, parte da renda das vendas dos produtos será revertida para os atendimentos diretos nos serviços de saúde, inclusão social e defesa de direitos das pessoas com deficiência intelectual apoiadas pela Organização.

Além das camisetas, a coleção inclui outros itens: canecas, capas para celular e pôsteres. A linha traz estampas exclusivas com temas relacionados ao propósito do IJC como inclusão, diversidade, liberdade e independência.

“Nós do Instituto Jô Clemente ficamos muito felizes com essa parceria. Sempre buscamos aliar a nossa marca com empresas que geram impacto social, como é o caso da Chico Rei. Acreditamos que será um sucesso, pois vemos uma conscientização cada vez maior na sociedade brasileira para a compra de produtos relacionados a uma causa”, diz Isa Degaspari, gerente de Desenvolvimento Institucional do IJC.

Para o CEO da Chico Rei, Bruno Imbrizi, a coleção é uma celebração das diferenças. “A mensagem das camisetas incentiva a mudança de olhar sobre a pessoa com deficiência intelectual. Essa é uma premissa do IJC que abraçamos com muito carinho e que está refletida nos produtos. Acreditamos no apoio à diversidade e temos muito orgulho de contribuir com a causa em parceria com uma Organização que é referência nacional nesta luta”, conta.

Para quem quiser conhecer os produtos e contribuir com a causa, a “Coleção Instituto Jô Clemente” está disponível na loja virtual Chico Rei.

Com informações de assessoria de imprensa.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *