Animais e terapias

Compartilhe:

Os animais convivem e tem importante espaço nas histórias dos seres humanos, de diversas formas. Uma delas é a parte social e, em muitos casos, inclusive, auxiliando como no caso das terapias.

Temos a equoterapia, a psicoterapia assistida por animais, a terapia com animais em hospitais, entre outras. Todas feitas por profissionais, com muito conhecimento para cada patologia e cuidado com os animais. Os resultados variam de pessoa pra pessoa, pois cada um tem suas necessidades.

A equoterapia é a terapia com cavalo, podendo tratar deficiências motoras, intelectuais e distúrbios, visando melhorias no desenvolvimento da reabilitação ou habilitação e trazendo vários benefícios.

Por exemplo, no caso de um lesado medular o movimento do cavalo é similar ao do homem, sendo para cima e para baixo, de um lado para o outro, para frente e para trás, estimulando o corpo todo.

No meu caso, faço equoterapia no C.A.D.E.E. em São Bernardo. Noto que o ganho de tronco é nítido e facilita as atividades diárias. Em casos de pessoas com autismo, esse tipo de terapia trabalha bastante a parte da socialização, com a inserção social e na parte emocional, e traz melhoria na qualidade de vida.

A terapia com animais na psicopedagogia busca melhorias para pessoas com dificuldades cognitivas. Na clínica Arte Psico, animais como coruja, cobra, arara, sapo – todos com certificados ambientais – auxiliam nesse trabalho com crianças. A terapia trouxe melhoras no desenvolvimento da aprendizagem, na comunicação, no controle motor, além de diminuir a ansiedade, depressão, e estimular todos os sentidos.

Hoje em dia, os animais também estão presentes no ambiente hospitalar por meio de terapias, tendo em vista que muitas pessoas se encontram fragilizadas por estar internadas.

Esse é trabalho realizado por alguma entidade junto ao hospital, como a ‘’Patas Therapeutas’’.  Os animais passam por uma avalição de saúde e social, passando por adestramento, para realizar esse trabalho.

Mesmo com algumas restrições no trabalho devido ao ambiente, eles trazem muitos dos benefícios já citados, além de diminuir a solidão e a depressão, e aumentar a sensação de bem-estar e alegria, quebrando a rotina. E este trabalho também é realizado em asilos, com o mesmo objetivo.

Lembrando que são terapias sempre realizadas por profissionais, tudo regulamentado, certificado, com muita responsabilidade e cuidados, acompanhados a órgão públicos de saúde. Mas que a convivências com animais traz benefícios e isso é comprovado.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *