Comunicadores pela inclusão – Parte 1

Compartilhe:
Por Elza Maria Albuquerque

Existe um mundo de possibilidades e oportunidades focadas nas pessoas com deficiência. E, para que mais pessoas fiquem sabendo delas, existem profissionais que usam a comunicação como ferramenta de inclusão.

Lançamos hoje a primeira de uma série de matérias que destacam pessoas com deficiência que têm a comunicação na veia. Elas lutam pela inclusão, não só delas, mas de todos.

Panorama geral

Dudu Braga sorrindo com painel de fundo com diversas palavras soltas O radialista, publicitário, produtor musical e empresário Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, soube driblar os desafios da deficiência visual. “Se a propaganda é a alma do negócio, a comunicação é a alma da inclusão. Como faço parte de um grupo de pessoas com deficiência que trabalha nos meios de comunicação, acho imprescindível a comunicação, não só para reivindicar, que é absolutamente importante, mas também para mostrar questões cotidianas que nós, pessoas com deficiência, temos. É importante que as pessoas se familiarizem com o nosso dia a dia”, disse.

Mas o que é preciso para incluir quando o assunto é comunicação? Na opinião dele, os meios de comunicação estão sensíveis à questão da deficiência hoje. “É preciso mais espaço para a questão da inclusão na mídia. Pelo que percebo, racionalmente, as pessoas entendem que é preciso incluir, mas elas precisam sentir isso de maneira emocional, para que a inclusão seja feita de maneira completa. Como diria Dorina Nowill: ‘As mudanças vêm de forma gradativa’”.
Dentro do seu trabalho de comunicador, o radialista também apoia projetos para o terceiro setor e a inclusão social de pessoas com deficiência, além de ministrar palestras motivacionais.

Segundo Dudu, entre as inspirações para o seu trabalho, fora a própria inclusão, está uma questão que o incomoda muito: o consumismo. “As pressões que a sociedade vem tendo neste sentido são muito fortes, e eu percebo isso nas palestras que eu ministro: nós, pessoas com deficiência, funcionamos como um contraponto a isso tudo, demonstrando que é possível ser feliz sem ser ‘perfeito’. Buscar o melhor é ótimo, mas achar que a perfeição existe é burrice”.

Rádio como voz da inclusão

IlustraçãoMariane Sant’Ana e Alan Mazzoleni são tetraplégicos e não se formaram em comunicação, mas são comunicadores natos. Primeiro, eles tiveram a ideia de veicular um programa na web que foi ao ar três vezes. Após esse episódio, uma entrevista que deram à rádio ABC 1570 os trouxe de vez para o mundo da comunicação. “Fomos à rádio para falar sobre pessoas com deficiência no programa do âncora Milton Grenzi. Logo, ele nos convidou para criarmos um programa na rádio sobre o segmento”, contou Alan. Ambos são tetraplégicos.

E assim nasceu o programa Viva as Diferenças, que hoje já completa seis meses no ar. A ideia é entrevistar pessoas com deficiência, contando suas histórias de vida, profissionais de diversas áreas do segmento e representantes de instituições, variando o tema a cada programa.

Alan afirma que, muitas vezes, falta informação para esse público. “Muitas pessoas com deficiência não têm uma vida melhor por falta de informação. Sempre tentei informar as pessoas de diversas formas, e a rádio foi uma oportunidade fantástica pelo número de pessoas que consegue atingir”, disse.

Formada em Educação Física, Mariane também não tem especialização na área do rádio, mas está feliz com a sua nova experiência como âncora. “Estou adorando! Os entrevistados são selecionados pela sua história de vida, e não pela sua deficiência. Todos são incríveis, seja PCDs ou profissionais da área. A fidelidade dos ouvintes também é muito bacana. Eles se identificam com as histórias e passam a trocar informações com a gente, divulgam o programa e viram nossos amigos”, disse.

Um dos diversos episódios que emocionaram Mariane prova os resultados positivos do trabalho que ela realiza com Alan na rádio. “Achei muito bacana saber que tem um grupo de pessoas da cidade de Campinas que se reúne aos sábados, às 9h, na casa de um cadeirante, para ouvir o nosso programa pela internet”, orgulha-se.

*O Programa Viva as Diferenças vai ao ar: aos sábados (ao vivo), às 9h, pela rádio ABC – AM1570 ou no site www.radioabc.com.br. Conheça a página do Programa Viva as Diferenças no Facebook

Fotos: Divulgação