Adaptações veiculares garantem mais autonomia e conforto

Compartilhe:
Daniel Limas, da Reportagem do Vida Mais Livre
Ir e vir é um direito assegurado a todos os cidadãos brasileiros pela Constituição. No entanto, sabemos que em nossas cidades nem sempre se locomover é tarefa fácil para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. As calçadas são esburacadas, as rampas nem sempre existem ou estão em boas condições, o transporte público é escasso. Uma solução que pode contribuir para amenizar os problemas de locomoção é a adaptação veicular.
Para quem deseja dirigir seu próprio automóvel, o investimento começa em R$ 500,00 e pode ir até R$ 20.000,00. Tudo depende das necessidades do cliente e de suas limitações. “As soluções para cadeirantes e pessoas com limitações parciais dependem da patologia e dos movimentos preservados nos grupos musculares envolvidos na dirigibilidade de um automóvel”, explica Monica Cavenaghi, diretora comercial da Cavenaghi, empresa que desenvolve equipamentos de adaptação veicular para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. “Anões, por exemplo, podem precisar de prolongamento de pedais, almofadas e assentos especiais”, completa a executiva.
Ainda de acordo com Monica, em geral, o público que procura a empresa para fazer as adaptações é composto de pessoas com deficiência física ou idosos das mais variadas idades e classes sociais que buscam maior autonomia e qualidade de vida. Os produtos mais procurados são os que permitem que a própria pessoa conduza seu veículo, os que proporcionam o transporte em sua cadeira de rodas e as soluções que oferecem maior autonomia e conforto para o embarque e desembarque da pessoa ou acomodação de orteses.
Rafael Ferreira Mana, operador de telemarketing e graduado em Educação Física, é uma dessas pessoas que tem um carro adaptado. Incentivado por sua mãe, Rafael decidiu procurar informação sobre como voltar a dirigir – ele já tinha carteira de motorista, antes de acidentar, em 2003. Encontrou um Centro de Formação de Condutores (CFC) especializado em pessoas com deficiência, que o instruiu sobre a adaptação de seu carro. “Como já dirigia antes, fiz apenas cinco aulas. Não houve burocracia. A adaptação do carro também foi super rápida e fácil”, explica Rafael, que solicitou em seu carro acelerador e freio atrás do volante e uma adaptação no volante. Além disso, o carro possui câmbio automático.
“Antes de poder dirigir, eu pouco saia de casa, sempre precisava da ajuda de alguém. Apesar de morar próximo do metrô Jabaquara (SP), até chegar lá encontrava muita dificuldade com as calçadas, com as rampas ou com os ônibus. Agora, com o carro adaptado posso ir sem muita dificuldade para baladas, saio sozinho, busco meus amigos, vou para o shopping e até para a praia. Essas adaptações me ajudam muito”, vibra Rafael.
Garantia
Uma das vantagens é que o veículo não perde a garantia de fábrica, na maioria dos casos. Para isso, geralmente não se altera as características originais do veículo. “Dessa forma, ao apresentar qualquer problema técnico, a concessionária da marca tem condições de avaliar se o defeito é proveniente do automóvel ou da adaptação”, explica Monica. Algumas montadoras preferem homologar produtos, tornando-os originais de fábrica, o que, certamente, confere maior credibilidade ao cliente quanto à garantia.
Documentação
Outra dúvida muito comum das pessoas que procuram adaptações em seus veículos está relacionada com a documentação.
Se o carro receber automações de embreagem ou aceleradores e freios manuais ou se receber adaptações para facilitar o embarque e desembarque da pessoa, como bancos giratórios, nova documentação não é necessária. Ela será obrigatória caso o veículo seja transformado.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *