Leandro (ZB)

Compartilhe:
Leandro

Nasci de parto cesárea, tendo sido indicação: prolapso de cordão e procedência de braço em apresentação transversa, idade gestacional de 28 para 29 semanas, portanto apresentando prematuridade. Peso ao nascer: 1.450kg, altura 41cm, pequeno para idade gestacional e tendo um HEMANGIOMA, como sequela, encurtamento na perna direita! Até meus 16 anos, fiz 4 cirurgias para esticar o tendão. Hoje, hoje tenho 4,6cm de encurtamento!

Na minha infância, passei usando botas ortopédicas, mas sempre tive uma infância ativa! Na área profissional é complicado, pois não havia oportunidades, nem opção de emprego! Eu me lembro que com 12 anos fui fazer uma prova para guarda municipal infantil, fiz a prova, fui aprovado, mas, infelizmente, um ato de preconceito aconteceu! O responsável pela guarda municipal disse que eu não poderia ficar, pois na hora de marchar eu iria dar diferença dos outros e assim eu acabei perdendo minha vaga e ainda deram minha vaga para uma criança que nem tinha passado na prova!!!

Decepção! Hoje, sou a favor da Lei de Cotas, pois só assim as pessoas com deficiência poderão ter a oportunidade para trabalhar e mostrar que são capazes. É claro que a lei de cotas tem que ser melhorada, mas no momento ela tem que existir! Eu nunca desisti, corri atrás e comecei a vender sorvete até os meus 17 anos. Depois, a AVAPE me deu a 1ª oportunidade de emprego. Também já fiz trabalho voluntário na ONG ADFI-MAUÁ! Hoje, procuro me qualificar cada vez mais para o futuro! Sou grato a Deus, familiares e a meu ortopedista Fernando Farcetta! Sou Leandro 32 anos, solteiro.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *